Quais são os prós e contras do WiFi na Automação Residencial?

Artigo traduzido de 24-7-home-security.com

A automação residencial é útil e divertida para automatizar tarefas comuns e manter nossa casa segura. Mas, você pode estar se perguntando, todos esses hubs especiais e protocolos como Z-Wave e Zigbee são realmente necessários?

Ou, você pode simplesmente comprar equipamentos de automação residencial com capacidade WiFi e evitar o hardware extra?

Talvez!

Discutiremos as vantagens e desvantagens do Wi-Fi neste artigo para que você conheça os prós e contras para tomar decisões melhores ao configurar seu sistema de automação residencial.

PROS DE WIFI VS Z-WAVE / ZIGBEE / BLE

OK, então você não quer ir com uma conexão com fio. Vejamos como o WiFi se compara aos outros protocolos comuns de automação residencial.

PREÇO
Dispositivos inteligentes habilitados para WiFi são geralmente menos caros se comparados aos seus equivalentes. Também é muito mais fácil encontrar dispositivos DIY (do-it-yoursef) que usam WiFi, tornando-a uma opção mais barata.

WIFI É MAIS COMUM
O WiFi já é uma necessidade e está na maioria dos lares. É mais fácil comprar dispositivos que já estão habilitados para WiFi. Para pessoas que são novas em automação residencial, os protocolos Z-Wave e ZigBee podem ser totalmente novos e soam muito técnicos. Além disso, eles exigem um novo hub.

SIMPLICIDADE - NECESSIDADE DE HARDWARE EXTRA
O WiFi assume a liderança quando se trata de simplicidade, ou seja, quando você não precisa conectar dezenas de dispositivos e apenas um número mínimo de dispositivos para uma configuração de automação doméstica. Como isso é muito comum, você não precisa investir em hardware extra quando precisar apenas da configuração básica do sistema de automação residencial.

CONTRAS DE WIFI VS Z-WAVE / ZIGBEE / BLE

WIFI NÃO É PROJETADO PARA CRIAR MESH NETWORKS
Rede de malha é um termo sofisticado usado para se referir a dispositivos que podem conversar entre si. A rede permite vários caminhos para um dispositivo de destino. Uma malha de rede aumenta a confiabilidade da rede na automação residencial, aumenta o sinal conforme ele passa para o próximo dispositivo e evita a perda de sinal. Imagine este cenário - se um de seus dispositivos estiver desligado em um caminho de sinal, a rede simplesmente encontrará uma rota alternativa para seu dispositivo de destino.
Roteadores mais novos, como o Orbi, podem formar uma rede de malha entre roteadores, mas isso não é tão bom quanto uma rede entre os dispositivos.

O Z-Wave e o ZigBee são protocolos de dispositivos sem fio comuns que se comunicam por meio de uma rede mesh por padrão, o que torna uma rede mais forte em distâncias maiores.

USO DE ALTA POTÊNCIA
O WiFi consome 10 vezes mais energia em comparação com dispositivos semelhantes usando ZigBee, Z-Wave ou Bluetooth Low Energy (BLE). Seus dispositivos WiFi drenarão sua bateria mais rapidamente e, eventualmente, se tornarão mais caros a longo prazo. Por outro lado, ZigBee, Z-Wave e BLE são projetados para dispositivos de baixa potência. Esta é a razão pela qual você dificilmente pode encontrar um sensor ou dispositivo operado por bateria que usa WiFi - a maioria desses dispositivos usa Z-Wave, ZigBee ou Bluetooth.

UM NÚMERO LIMITADO DE DISPOSITIVOS PODE SER CONECTADO
Muitos roteadores WiFi podem permitir até 30 dispositivos conectados ao mesmo tempo. Se você estiver usando muitos dispositivos, como lâmpadas inteligentes ou comutadores inteligentes, você acabará encontrando a contagem limitada de dispositivos. Por outro lado, o Z-Wave permite 231 dispositivos conectados por rede, enquanto o ZigBee pode lidar com milhares!

PROS DE WIFI VS. ETHERNET

CONVENIÊNCIA
A automação residencial requer a conexão de vários dispositivos, como câmeras, luzes e switches, monitores, sensores e muitos outros. A natureza sem fio do WiFi permite que você conecte e acesse vários dispositivos facilmente. Além disso, a maioria de nós já tem WiFi em nossas casas.

EXPANSIBILIDADE
Ao configurar seu sistema de automação residencial, você pode decidir um dia adicionar mais dispositivos ao seu sistema. Isso significaria adicionar novos cabos se você tiver uma rede com fio. O benefício de usar uma rede WiFi é que você pode simplesmente adicionar novos dispositivos sem o incômodo de fiação adicional.

CUSTO MAIS BAIXO
Em comparação com suas contrapartes com fio, o WiFi oferece maior economia em custos e mão-de-obra associados à execução de fios ou cabos físicos. Para dispositivos de automação residencial, como plugues e tomadas inteligentes, os chips WiFi são muito baratos devido ao uso difundido em computação e dispositivos móveis.

SEM CABOS / CABOS DESCONHECIDOS
Os dispositivos conectados ao Wi-Fi requerem apenas um único ponto de acesso. Você pode facilmente configurar seus dispositivos em qualquer lugar sem cabos. Por outro lado, os sistemas com fio exigirão planejamento complexo para executar cabos físicos em vários locais, especialmente em áreas distantes do roteador e das tomadas principais.

CONECTE SEMPRE DISPOSITIVOS MÚLTIPLOS
Usar uma rede Wi-Fi significa que você tem mais portas de roteador gratuitas. Você não precisa de saídas Ethernet adicionais - basta conectar novos dispositivos na rede. A maioria dos roteadores bons suportará centenas de conexões.

CONTRAS DE WIFI VS. ETHERNET

DISTÂNCIA LIMITADA À COBERTURA
A rede Wi-Fi com equipamento padrão pode ser limitada por paredes e outras obstruções em uma casa padrão, mas geralmente é suficiente para uma casa típica. Mas se você tem uma casa maior com muitas salas e quer colocar sensores e monitores em cada esquina, então uma rede WiFi típica pode não ser suficiente. Pode ser necessário adicionar repetidores para alcançar distâncias maiores ou usar uma rede de malha.

O NÚMERO DE DISPOSITIVOS QUE PODEM SER CONECTADOS É LIMITADO
Embora seja verdade que você pode conectar vários dispositivos na rede sem fio, o número de dispositivos pode ser limitado, alguns roteadores sem fio permitem até 32 dispositivos. Além disso, à medida que você conecta mais dispositivos, o canal fica saturado e pode afetar o desempenho geral do sistema, compartilhando largura de banda limitada em vários dispositivos.

INTERFERÊNCIA
O WiFi é exatamente como qualquer transmissão de frequência de rádio - está sujeito a efeitos de interferência e propagação complexos que estão além do controle do seu provedor de rede. A interferência pode afetar o desempenho do seu sinal WiFi e retardar a sua rede. Algumas fontes comuns de interferência incluem fornos de micro-ondas, outros periféricos sem fio, lâmpadas fluorescentes, dispositivos Bluetooth e telefones sem fio.

OBSTÁCULOS
Quer queiramos ou não, os obstáculos podem bloquear seu sinal WiFi e afetar os dispositivos conectados a ele. A principal razão é que o WiFi usa ondas de rádio mais curtas, que não podem apenas penetrar em quaisquer obstáculos entre seus dispositivos e roteador. Quanto mais obstáculos, mais difícil é ter um bom sinal. Obstáculos comuns em casa incluem metal, paredes, vidro, lâmpadas fluorescentes e dispositivos eletrônicos que usam frequências de rádio para transmitir dados. Até o chão pode ser um obstáculo se você estiver em um porão.

VELOCIDADE DE CONEXÃO
A velocidade mais rápida do Wi-Fi é muito mais lenta que uma rede com fio, e isso é apenas com um dispositivo com uma conexão dedicada. Isso pode não ser muito significativo se você tiver apenas alguns dispositivos conectados à sua rede. Mas à medida que você adiciona mais dispositivos, você pode eventualmente experimentar velocidades mais lentas e latências mais altas, afetando também o sistema de automação residencial geral.

SEGURANÇA E PROBLEMAS DE PRIVACIDADE
A segurança na Internet é um tema quente cheio de “buracos de coelho”. Embora existam várias tecnologias de criptografia que você pode usar, a maioria desses métodos é bastante comum e tem suas próprias fraquezas que podem ser facilmente exploradas por hackers. Além disso, um sinal WiFi pode ser facilmente bloqueado usando um smartphone ou telefone fixo sem fio. Por exemplo, se o seu sistema de segurança doméstica depende do WiFi, os intrusos podem bloquear facilmente o sinal e desativar o seu sistema de alarme. Os hackers também podem acessar imagens ao vivo de sua casa através de suas câmeras WiFi e explorar todas as informações que conseguirem como invadir sua casa ou obter seus dados pessoais.

O QUE VOCÊ PODE FAZER
Usar o Wi-Fi para ativar seu sistema de automação residencial não é totalmente ruim e sombrio - você só precisa implementar maneiras de melhorar e proteger sua rede. Aqui estão as nossas pequenas dicas que você pode fazer em casa:

OBTENHA O MELHOR DOS DOIS MUNDOS
O WiFi, o ZigBee, o Z-Wave e o BLE têm suas próprias vantagens e desvantagens, dependendo de como você usa esses dispositivos, bem como suas metas para a sua configuração. Por exemplo, o Bluetooth é projetado apenas para curtas distâncias, portanto você pode não achar adequado para dois dispositivos instalados longe um do outro. Além disso, você pode se conectar diretamente do seu telefone! O ZigBee e o Z-Wave podem usar redes mesh para aumentar a confiabilidade e aumentar a vida útil da bateria, ambos sem WiFi. Muitos hubs de automação residencial permitem que você use dispositivos com vários tipos, por o Samsung SmartThings é um deles.

USE APENAS O QUE PRECISAR
Planejar com antecedência antes de investir em um sistema de automação residencial é importante para evitar custos desnecessários. Se você está apenas começando um sistema de automação residencial, recomendamos começar com o básico, como iluminação inteligente e, eventualmente, adicionar dispositivos conforme necessário. Certifique-se de não adicionar dispositivos que você realmente não precisa ou cujas funcionalidades já estão presentes em seus dispositivos existentes.
Um benefício adicional é que você não incomodará o resto da sua família com automações domésticas que são complicadas e causam problemas quando você se concentra em fazer algumas coisas muito bem para começar e também para vendê-las em seus sonhos.

VERIFIQUE AS CONFIGURAÇÕES
Ao configurar seus dispositivos, verifique suas caracteristicas, bem como as configurações do aplicativo, para garantir que você esteja fornecendo apenas informações suficientes para que seus dispositivos funcionem. Nunca esqueça de verificar essas configurações sempre que seus dispositivos forem atualizados.

USE DISPOSITIVOS DIFERENTES QUE USAM UMA LÍNGUA COMUM
Ao investir em um sistema de automação residencial, você não precisa colocar todos os ovos na mesma cesta. Em vez de colocar toda a sua casa sob uma única empresa, uma combinação de dispositivos é mais segura e você pode experimentar recursos que outras empresas podem não oferecer (contanto que esses dispositivos não tenham problemas de compatibilidade).


USE REPETIDORES SE NECESSÁRIO
O WiFi pode ser facilmente afetado com obstáculos e interferência. Você pode adicionar repetidores conforme necessário para melhorar seu desempenho, especialmente se você tiver uma grande casa com muitas salas onde deseja implantar seus dispositivos.
Proteja sua rede

Casas inteligentes nos obrigam a ser mais inteligentes e mais vigilantes. Apesar dos avanços tecnológicos, a segurança na Internet ainda é um problema que pode colocar sua casa em risco se não for cuidada. Você pode implementar métodos ou ferramentas para proteger sua rede e impedir que pessoas de fora se conectem e dominem sua rede. Algumas das coisas simples que você pode fazer são alterar a senha do seu roteador, alterar o nome do SSID da sua rede, filtrar endereços MAC e adicionar apenas aqueles que são de seus dispositivos e ativar a criptografia da rede.

FINALIZANDO
Casas inteligentes estão crescendo e em breve a maioria das casas ficará conectada on-line. Wi-Fi oferece muitas vantagens, incluindo conveniência, mobilidade e transmissão sem fio. No entanto, também vem com desvantagens que incluem desempenho de velocidade, problemas de segurança e privacidade e distância limitada. Por outro lado, outros protocolos de automação residencial, como Z-Wave, ZigBee e BLE, também oferecem recursos que talvez você não encontre em dispositivos habilitados para WiFi. No final das contas, tudo depende da interoperabilidade - cada um desses protocolos tem suas próprias vantagens que você pode usar para a configuração da automação residencial.

Posicionamento da AURESIDE sobre produtos sem origem formal no mercado de Automação Residencial


Cópia de mensagem enviada pela AURESIDE para a redação do OLHAR DIGITAL nesta data


Prezados Senhores

A AURESIDE, Associação Brasileira de Automação Residencial e Predial,  criada no ano de 2000, representa os fabricantes e distribuidores de sistemas e produtos para a Automação de residências e para a Casa Inteligente.

Causou-nos  preocupação a matéria “Como automatizar sua casa de forma barata; guia de preços e produtos” publicada no seu portal em 31 de julho onde fica clara a orientação ao usuário de que compre produtos chineses diretamente através de sites internacionais.

Se bem que é uma prática existente, em momento algum ela deve ser incentivada, uma vez que os produtos trazidos desta forma não têm autorização para serem utilizados no país; eles não possuem certificação ANATEL nem INMETRO, não oferecem manuais em português nem suporte ou garantia local.

Esta prática coloca o usuário em várias situações de risco. Produtos conectados à rede elétrica que não atendam às normas brasileiras podem ser potenciais focos de incêndio. Instruções não adequadas e em língua estrangeira podem induzir o usuário a erros. Equipamentos que utilizam radio transmissão e não foram certificados pela ANATEL podem estar gerando interferências ou mesmo irradiando potencias acima do permitido, colocando em risco a saúde dos usuários.

Ademais, este tipo de comercialização, onde se busca o menor preço, induz o comprador a produtos de baixa qualidade ou mesmo produtos que simplesmente não atendem ao que anunciam, causando frustração, o que prejudica o mercado nacional como um todo.

Temos ainda que considerar que esta orientação prejudica as empresas nacionais e mesmo as empresas estrangeiras que se preocupam em atender às normas e legislações brasileiras, pagar impostos e taxas e criar uma infraestrutura de distribuição e suporte para buscar a satisfação do usuário final.

Assim, pedimos que considerem publicar uma matéria que elucide o assunto e oriente o leitor aos procedimentos e escolhas corretas.

Ficamos à disposição para orientações a respeito

DIRETORIA AURESIDE

Servir bem para servir sempre

Por Alessandro Germano, Google Head of Business Development, LATAM
Artigo publicado na Revista Audio & Video Design, edição 170

Mais do que “inteligente”, uma casa automatizada deve ser “prestativa”, colocando em primeiro lugar as necessidades do usuário


Sei que não sou o primeiro a escrever sobre isto – mas também,em tenra idade, fui magnetizado pela frase certeira em sacos de papel de pão francês: “Servir bem para servir sempre”. Parecia um lema ancestral das padarias tradicionais, sabedoras de que o diferencial a atingir era aquele nível de atendimento ao cliente em que a preocupação com detalhes, os pequenos  agrados surpreendentes e o trato cordial o fariam voltar toda manhã.

O desconhecido e subestimado autor da frase talvez já tivesse imaginado que o mote pudesse alcançar dimensão muito além do comércio de rua. Em todo produto ou serviço que almeja ser frequentemente usado (servir sempre), servir bem a cada interação é primordial. A alta frequência de uso tem, portanto, dois gumes: a possibilidade de se maravilhar ou se decepcionar a cada segundo.

RESPEITO AO USUÁRIO

Ao criar soluções inteligentes para o ambiente doméstico, também o Google tem isto em mente. Do ponto de vista sistêmico, mesmo um dia muito normal e tranquilo de nossa vida em casa tem uma complexidade que nos passa despercebida: a que horas acordar, como preparar o café, o que priorizar entre tarefas e desejos, com quem falar e como eventos externos (chuva, resultado do jogo, greve no transporte etc.) mudam o panorama.

Nossa meta é ser uma ferramenta ao alcance da mão (ou da voz) em todos esses momentos: que não perturbe o usuário tentando se intrometer quando ele quer paz ou decidir por si só, mas que esteja facilmente disponível quando ele precisar de uma ajuda. Em alguns casos, o pedido de ajuda ocorrerá explicitamente – por exemplo,quando o usuário solicitar o apagar das luzes da área externa antes de dormir.nectado

Em outros, tentaremos imaginar do que ele está precisando – digamos que o usuário tenha se esquecido de ligar o alarme ao sair de casa. Este último caso tem a ver com os  pequenos agrados surpreendentes da padaria, como aquela fatia de presunto que o cortador de frios oferece espontaneamente. Mais que inteligente, portanto, nossa meta é construir uma casa prestativa – e o Google tem tido um papel extremamente destacado no desenvolvimento de tecnologias que vão nessa direção. 

Nossos esforços em inteligencia artificial, hoje, permitem que ofertemos alguns dos ingredientes fundamentais para essa realidade: entendimento natural da linguagem (a capacidade decompô-la em elementos menores e atribuir valores e papéis a cada um); reconhecimento da fala (transformar sons em textos), bem como a reconstrução da mesma (fazer um texto virar uma fala humana natural); modelos de personalização, predição e aprendizado; reconhecimento de imagens; e assim por diante.

Esses ingredientes se materializam no Google Assistente, o assistente pessoal que é capaz de oferecer respostas e cumprir tarefas de um jeito contextual e natural. Tudo tratado com imenso respeito à privacidade do usuário, que sempre tem a primazia de ajustar a quantidade de informações que deseja compartilhar com a plataforma (e até
decidir que nada quer compartilhar).

EXPERIÊNCIA DOMÉSTICA INTELIGENTE

Globalmente já existem mais de 30 mil produtos,de 3.500 marcas compatíveis com esse ecossistema. E está à disposição dos usuários um cardápio de mais de 1 milhão deações que podem ser feitas com esses produtos – coisas como "acender alâmpada", "ativar a centrifugação","descer as persianas", "fazer gelo" e desarmar o alarme". Inúmeros integradores em todo o mundo seguem fazendo esses números

Crescer: 80% deles executam a integração em até seis semanas.Seus produtos podem ser controlados, inclusive pela voz, por meio de mais de 1 bilhão de aparelhos conectados no mundo, como a maioria dos celulares Android, caixas de som conectadas e assim por diante.

O Brasil, uma de nossas prioridades globais, marca uma bela presença nessa história. Em abril, organizamos um evento com uma casa conectada em São Paulo, mostrando que, com os produtos já disponíveis em nosso mercado e integrados com o Google Assistente, é possível ter uma completa experiência doméstica inteligente. 

Em junho, anunciamos uma nova linha de produtos da Positivo a ser lançada em breve, igualmente compatível com o Google Assistente, com preços acessíveis a uma gama ainda maior de potenciais usuários. E seguimos trabalhando para trazer mais novidades. A sofisticação tecnológica, instigante como ela só, pode parecer uma solução com fim em si, mas nossa meta real é que ela não nos faça perder de vista o usuário. Este usuário, muitas vezes alheio às engrenagens que fazem a mágica acontecer, seja na padaria ou diante da televisão, apenas quer mais conforto, praticidade, tempo, uma pitada de humanidade nas relações e a grata surpresa de se sentir considerado, respeitado, conhecido e acolhido.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

(*) Alessandro Germano tem mais de 15 anos de experiência em inovação, desenvolvimento de novos negócios, gestão de parcerias e start-ups. Atualmente lidera a área de desenvolvimento dos principais negócios do Google na América Latina.
Alessandro é engenheiro pela Escola Politécnica da USP, com mestrado em administração pela FGV-SP e extensão em inovação pela Stanford University. Também é professor de gestão da inovação no Senac São Paulo.