Casa inteligente: o Z-Wave LR vai mudar o jogo?

Artigo originalmente publicado no site www2.engineering.com/


Com um mercado de casa inteligente em rápido crescimento, dois protocolos, Z-Wave e Zigbee, estão emergindo do pacote como padrões líderes da indústria. Cada um é apoiado por sua própria aliança. A Z-Wave Alliance e a Zigbee Alliance têm, cada uma, mais de 3.000 membros e um número semelhante de produtos certificados, cerca de 3.400.

Ambas as organizações podem apontar proponentes entre os pesos-pesados ​​do setor. Por exemplo, ADT, Alarm.com, Assa Abloy, Ring e Silicon Labs apóiam a Z-Wave Alliance e Amazon, Apple, Comcast, Google e SmartThings (Samsung) suportam Zigbee. Atualmente, o Zigbee é suportado por vários fornecedores de silício, enquanto o Z-Wave funciona apenas com silício da Silicon Labs.

Embora ambos os protocolos sejam baseados em redes mesh, o Zigbee tem uma vantagem de velocidade. Os 250 kbps da Zigbee (mais de 4 GHz) superam os 100 kbps oferecidos pela Z-Wave. No entanto, como os controles domésticos inteligentes só usam pouca comunicação  e de baixa velocidade, uma vantagem de velocidade provavelmente não é um fator, a menos que o protocolo precise gerenciar milhares de dispositivos. O Zigbee suporta uma linha de visão de 984 pés (300 metros), enquanto o Z-Wave cobre 100 metros por salto. Em termos práticos, qualquer uma das velocidades funcionará para aplicações domésticas inteligentes, como iluminação, termostatos e geladeiras.

A introdução do Z-Wave LR

No final do ano passado, a Z-Wave Alliance anunciou o Z-Wave Long Range (Z-Wave LR). Esta atualização das especificações atuais da Alliance tem um alcance de transmissão mais longo e suporta até 4000 nós de rede, um aumento em relação aos 232 anteriores.

Z-Wave LR opera em uma rede em estrela em vez da rede mesh anterior. Um gateway / hub central controla os 4000 nós usando um esquema de endereçamento de 12 bits. Os protocolos Z-Wave e Z-Wave LR podem coexistir na mesma rede, mas todos os dispositivos da rede devem suportar a nova especificação para que o LR seja funcional.

A especificação tem uma capacidade de potência de saída máxima de 30 dBm, que permite distâncias de transmissão de até vários quilômetros. Em sua fase um, usando a plataforma Silicon Labs 700 Series, a Z-Wave Alliance demonstrou uma faixa de transmissão bem-sucedida de 1 milha (1,6 km) de linha de visão direta com potência de saída de 14 dBm. Além disso, usando o controle dinâmico de energia, o Z-Wave LR estende a vida útil da bateria em até 10 anos com uma única célula tipo moeda.

Espera-se que o Z-Wave LR ofereça suporte a novos aplicativos fora da casa inteligente. “Por quase 20 anos, a Z-Wave transformou a tecnologia sem fio para casa inteligente e dispositivos de segurança. À medida que a tecnologia IoT se expandiu para além das paredes de casa e calçadas, para edifícios comerciais, cidades inteligentes e muito mais, decidimos apoiar essas necessidades da indústria em evolução ”, disse Mitch Klein, diretor executivo da Z-Wave Alliance. “Implementar Z-Wave e Z-Wave LR em redes IoT maximiza o valor e minimiza custos, ao mesmo tempo que oferece mais opções de escolha.”

Embora existam algumas diferenças básicas entre Zigbee e Z-Wave, fundamentalmente ambos funcionarão em aplicativos domésticos inteligentes. Um projetista provavelmente não se preocupará com a velocidade ou o número de nós suportados por qualquer um dos protocolos. Controlar 200 dispositivos em uma casa inteligente é mais do que suficiente. Os 65.000 nós do Zigbee nunca serão alcançados. Durante o uso diário do aplicativo, é improvável que um usuário seja capaz de detectar a diferença entre 250 kbps e 100 kbps.

A introdução do Z-Wave LR, no entanto, pode ser uma virada de jogo. A Z-Wave LR visa além de apenas aplicativos domésticos inteligentes se posicionar em edifícios industriais, comerciais inteligentes e aplicativos de cidades inteligentes. Esse é um jogo totalmente novo.

Tecnologias dos anos 20

Artigo publicado em 31/01/2021 no caderno Link do "Estado de São Paulo"   e escrito por Bruna Arimathea, Bruno Romani, Giovanna Wolf e Guilherme Guerra

Esqueça o smartphone: nova década abre possibilidade para outros tipos de conexões e formatos de aparelhos

Esta matéria especial aborda um total de oito tendencias da tecnologia para esta decada:

1) Assistentes digitais
2) Casa conectada
3) Proteção de dados
4) Redes sociais
5) Implantes tecnológicos
6) Inteligência artificial
7) Conectividade
8) Computação quântica

Destas tecnologias listadas, a maioria tem impacto direto na automação residencial. Assim, recomendamos a leitura do artigo completo, que reproduzimos em nosso site.

Clique nos links abaixo e boa leitura!

1a parte: http://www.aureside.org.br/_pdf/tec20_1.pdf 

2a parte: http://www.aureside.org.br/_pdf/tec20_2.pdf


CES 2021: As principais tendencias em tecnologias para o consumidor

A revista Forbes publicou uma materia concentrando a analise em cinco tendencias que foram consideradas as mais importantes com relação ao impacto de novas tecnologias voltadas ao consumidor apresentadas na edição deste ano da CES.

Preparamos um resumo a seguir e recomendamos a leitura da íntegra do artigo neste link.

Pela primeira vez na sua historia a CES foi um evento totalmente digital. E, desta maneira, os impactos do Covid-19 , de forma previsivel, tornaram os cuidados com a saude e a proteção elementos de grande relevancia a curto e médio prazo destas tendencias. As principais listadas neste artigo são:

1) Tecnologias desenvolvidas devido ao Covid-19

Isto inclui, entre outros:

- mascaras especiais, com capacidade de esterilização, projeção de voz e até iluminação LED
- termometros especiais que coletam temperaturas no ambiente domesticos e fazem analises
- a LG mostrou um robô anti-covíd autônomo que usa UV-C para desinfetar espaços e superfícies que começarão a funcionar na retomada em escolas, locais de trabalho e mesmo em hospitais
- telemedicina foi outro tema muito forte, mostrando como a Inteligencia Artificial pode ser utilizada remotamente para rastrear e prevenir doenças nos moradores monitorados

2) Trabalho e ensino à distancia

Um setor no qual a atividade e a inovação certamente explodiram no último ano é trabalhar e aprender em casa. Todos, de móveis a fabricantes de computadores, estão procurando maneiras de levar suas soluções de tecnologia aos milhões de escritórios domésticos e salas de aula recém-criados que se tornaram parte de nossas vidas. Muitas novidades foram apresentadas, desde robôs, equipamentos para teleconferencias, moveis ergonomicos com capacidade de promover relaxamento com massagens, telas OLED para laptops e equipamentos para garantir produtividade e conforto nos escritorios domesticos.

3) Entretenimento em casa

Os expositores mostraram diversas possibilidades para que os moradores criem novos habitos de consumo para substituir gastos que tinham ao viajar, comer fora ou participar de eventos publicos. Assim, foram apresentadas novidades em telas de projeção e monitores de TV de grande porte que podem ser utilizados em espaços menores sem interferir com o seu uso. Experiencias imersivas para videogames em realidade virtual. E até mesmo uma caixa de som bluetooth energizada pela água que jorra do chuveiro, garantindo musica ambiente durante o banho...

4) 5G

Quase todos os novos dispositivos incríveis em exibição precisam de dados para alimentá-los, e o 5G estava em toda parte na CES este ano, prometendo canalizar informações digitais em nossas vidas mais rápido do que nunca... Entre diversas novidades nos smartphones e similares, presenciamos o surgimento de uma nova gama de roteadores 5G domésticos que trarão velocidades super rápidas para escritórios domésticos e centros de entretenimento.

5) Transporte e mobilidade

Quando a pandemia acabar, todos nós precisaremos voltar aos deslocamentos novamente. Então, é bom ver que os fabricantes de veículos ainda estão trabalhando para resolver o problema de nos levar de A para B o mais rápido, confortável e seguro possível. Este ano, a tendência mudou de veículos com compartilhamento de carona para formas de transporte mais pessoais e privadas. Carros autonomos, outros movidos a energia solar. Entre as várias novidades,  a Mercedes-Benz está acabando com os botões de seu novo sedã elétrico EQS. Todo o painel é substituído por uma tela OLED (Hyperscreen) ue dá ao motorista e ao passageiro da frente acesso a todas as leituras, navegação, comunicação e tecnologia de entretenimento embutidas no carro.